quinta-feira, março 06, 2008

Sem nada para fazer

Como ainda não começou o projeto de iniciação científica que participo, vou falar sobre coisas inúteis, mas que são muito úteis hoje em dia. Já que as coisas desnecessárias são nossas únicas necessidades.

Existe algo mais tedioso do que aquelas pessoas que se fazem invulneráveis ao sofrimento do amor e das relações de amizade? Aquelas que querem mostrar que são descoladas, felizes e o pior de tudo, satisfeitas com a condição de tentarem ser aquilo que não o são por causa de acontecimentos em suas vidas que fizeram sofrer por algum tempo? Sim! E isso me soa tão tedioso.

O divertido das pessoas são seus relacionamentos e suas batalhas para serem felizes. As intrigas, os amores, os amigos, os inimigos, os estudos, o trabalho... Mais divertido ainda é quando temos aquelas pessoas das quais influenciamos sem elas notarem.

Alguns chamam isso de brincar com os sentimentos, eu o chamo de vida. E como vida para mim é um jogo, digamos que isso na verdade é um jogo. Já fui muito criticado, crucificado, julgado por causa desse modo de pensar e ser. Só que com tudo isso, várias pessoas evoluíram, desenvolveram certas falhas e fraquezas. E isso ninguém vê, ninguém agradece. Exceto aqueles, dos quais são os nossos mais estimados.

Mas agora certos conceitos meus estão mudando. Não dou mais conselhos sobre relacionamentos. Apenas mostro os caminhos que levaram certas ações e os por quê dos acontecimentos. Estou dando umas férias a minha mente ocupando-a mais comigo e com algumas metas, claro sem esquecer de realizar certos pecados que dão cor a vida.

É tão difícil deixar por algum tempo de mapear, conceituar, prever certas coisas. Acho que terei que me entregar mais um pouco a bebida destilada.

2 comentários:

avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr.Parker disse...

pensar na vida como um jogo é desumano.

não se deve brincar com as pessoas meo.