segunda-feira, março 03, 2008

"Recorda-te de Mim"

"Come l'altre verrem per nostre spoglie,
ma non però ch'alcuna sen rivesta,
ché non è giusto aver ciò ch'om si toglie.

Qui le trascineremo, e per la mesta
selva saranno i nostri corpi appesi,
ciascuno al prun de l'ombra sua molesta."


-Quando alguma alma se separa do seu corpo por sua própria vontade, Minós a manda para a sétima foz. De lá, cai nesta selva escura, brota como uma semente e cresce, até tornar-se um espinhoso arbusto. As Hárpias nutrem-se de nossos galhos e assim nos trazem eterna e intensa dor. Como os outros, um dia retornaremos para reaver nossos corpos, mas nunca mais poderemos vesti-los, pois, injusto seria que tivéssemos algo que rejeitamos. Nós os arrastaremos até aqui onde, nesta triste floresta, nossos corpos serão para sempre pendurados nos galhos de suas almas vis.


"Io fei gibbetto a me de le mie case"

E Fiz de minha casa a minha forca.


Pedaços retirados do poema, A Divina Comédia de Dante Alighieri. Retratando o sofrimento no sétimo circulo infernal, onde Pier della Vigna (suicida) encontra-se transformado em árvore e sendo devorado por Hárpias.

4 comentários:

avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Prezado Edgar,
Gostei muito do trecho da Divina Comédia escolhido por você. A pena sofrida por Pier della Vigna. Mas creio que você cometeu um leve engano. No seu post, você afirma que Pier della Vigna encontra-se no nono círculo. Porém, sabe-se que ele encontra-se, na verdade, no sétimo nível, lugar destinado aos suicidas.
Um abraço!
PS: Caso não esteja muito lembrado procure pelo CANTO XIII

Ciao

Ass: Dr Fell

avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.