quinta-feira, janeiro 31, 2008

Deflorando um Chateau Duvalier


Bebendo e escrevendo. Como antes. Quando eu adorava sugar mentalmente as ações de todo tipo de relações. Quando o divertido era ver falsos dogmas irem por água a baixo. Disciplinas morais serem sucumbidas por uma oferta sexual.

Então as coisas mudaram, começaram a evoluir. Começaram a questionar os acontecimentos e a julgar os fatos. Esquecendo-se, que, é de uma sala 3,5 x 3,5 que as coisas florão.

Foram quebradas taças por demasia, simplesmente por se importar por pilares que sustentam a vida.

X: “Não tenho medo de ficar só. Mas gosto dele”.
Eu: “Ficar só nem sempre quer dizer estar solitário. E você deve saber, tem que saber que é melhor ficar só, do que ter alguém e se sentir sozinho”.
X: “Por que, você escolheu ser assim?”.
Eu: “Não é uma escolha, é uma condição. Podem-se escolher religiões, empregos, mas não se pode escolher raça, sexo ou sexualidade”.

O último gole. Seco, constante, vazio... Como uma trepada com um amigo.

5 comentários:

Mr.Parker disse...

a vida é uma escolha, querido.

avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
avadore disse...

daí a gente te arranja uma corda-elastico, tipo rabicó, entao voce vai e volta e vai e volta e vai e volta!!

avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
guilherme disse...

eiita nois bommmm q nem vc memsmo dis a falta de opçao e uma opçao e ccarraio o vampiro para de induzi os otros kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk