domingo, outubro 28, 2007

Pronome Possessivo


As coisas são tão engraçadas, quando se é olhada do seu crisol de tempo limitado de vida e morte.

Já imaginou quanto tempo é perdido com briguinhas com namorados, amigos ou colegas de trabalho?

Perdemos tanto tempo com coisas tão tolos que de tanto conviver com elas, nos acostumamos a achar que essas coisas fazem parte da vida e, que na verdade o que faz parte da vida, não são as briguinhas de amor e amizade, mas sim o tanto de amor e amizade você consegue obter no período de sua vida.

Muita gente me fala que a melhor parte do namoro são as discussões para depois poder fazer as pazes e também o sofrimento por amor. Eu já acho que a melhor coisa é você viver intensamente cada momento da relação, se separou, está sofrendo, vai atrás de outros prazeres. Essa vida apegada a somente uma coisa por muito tempo é a meu ver, uma relação de poder e domínio sobre objeto.

Muita gente, por conviver muito com outras, ou acham que são donos ou são dependentes destas. E que quando se separam os dois perdem, perdem, pois um acha que perdeu o objeto o outro acha que perdeu uma parte de si. Como um dono de um cachorro, o cachorro perde o carinho do dono e o dono perde o “bichinho” de estimação dele.

Engraçado não?

Mais engraçado é quando fazemos algo por motivos de outros nos terem feitos. Uma obrigação falsa que instalamos em nós mesmos, como troca de favores ou ser bacana com quem nos é bacana. Mas este caso, deixarei para a próxima.

Cuidem-se!

P.S. As pessoas sempre buscam dominar, mesmo que para isso elas sejam dominadas!

sábado, outubro 27, 2007

Paciência

Lenine - Paciência


Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida e tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós

Um pouco mais de paciência
Será que é o tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (Tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)


Será que é tempo que me falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei,a vida não para (a vida não para não... a vida
não para)

quarta-feira, outubro 17, 2007


"(...)Realmente, quando se observa a vida no seu crisol de dor e de prazeres, não é possível cobrir o rosto com uma máscara de vidro nem impedir que os vapores sulfurosos nos ofusquem o cérebro e nos turvem a imaginação com fantasias monstruosas e sonhos disformes. Há venenos tão sutis que, para os conhecer, cumpre experimentá-los. Há males tão estranhos que, pra lhes entender a natureza, é preciso contraí-los. Ainda assim, que grande recompensa recebe o observador! Em que maravilha se torna o mundo aos seus olhos! Notar a lógica singular e inflexível da paixão, a vida colorida e emotiva da inteligência...verificar onde se cruzam e onde se apartam, que delícia! Que importava o custo? Não há preço demasiado alto para semelhante sensação. (...)" Lorde Henry - O Retrato de Dorian Gray


É assim que vejo a vida, como um jogo. Esta é uma forma hilária eu sei, mas desta forma aparenta ser mais fácil, só que na verdade não é bem assim.

Pois todos são os Reis de suas vidas, cada um tem suas Rainhas e seu peões para usarem, só que você nunca sabe se em outro jogo você é um Cavalo ou uma torre, creio que para muitos, cabe a serventia de peões.

A tabela mostra como eu divido vida de jogo.

VIDA

JOGO

Pessoas

Jogadores

Nascimento de pessoas

Surgimento de jogadores

Estágios

Fases

Aquisição de conhecimento

Descoberta de informações

Sonhos

Vontades

Morte

Derrota

Cursos

Estratégias

Escolhas

Decisões

Mentiras

Trapaças

Vitórias

Prêmios

Confiança

Conselhos

F1 – Ajuda

Amizade

Aliados

Felicidade

Conseqüência

Tristeza

Conseqüência


Façam suas apostas.
Que o jogo comece!

sábado, outubro 13, 2007

Mudando de Fase

Chegou o momento de passar complemente de fase.

O jogo mudou e novas regras foram apresentadas, novas escolhas foram feitas, novas conseqüências surgiram e novos jogadores nasceram.

É, vamos ver o resultado deste jogo.

Quantos jogadores irão perder, quando da felicidade eles estarão dispostos a doar para conseguir a ter um prêmio de ver as coisas como elas realmente são vistas e como as outras pessoas as vêem também.

Que o jogo comece. Hoje, a noite será divertidíssima.