sábado, janeiro 27, 2007

Vícios Intimados!

Fui intimado pelo bonitinho do Mr. Parker e agora tenho que contar 5 coisas que me deixam feliz, isso quer dizer, que tenho que contar 5 vícios meus! Sim! Vícios. Como no post que fiz ano passado, Um Tapa Na Felicidade, coloquei em questão que a felicidade é como uma droga viciante, mas isso não vem ao caso agora e novamente.


Dinheiro

Isso mesmo, fico muito feliz quando tenho dinheiro para fazer o que quiser. E quem nesse mundo não fica? Sair, gastar com besteiras, comprar presente para mim mesmo. Ter dinheiro é uma delicia. (Estou aceitando doações)


Inteligência

Adoro pessoas inteligentes, isso não quer dizer que não goste de gente só inteligente. Às vezes é bom para o ego andar com pessoas meio lerdas. Na verdade eu gosto mesmo é de conversar com pessoas, gosto de conhecer o jeito de cada um ser através da sua conversa.

O fato de a pessoa ser inteligente, é o fato de eu ser atraído pelo conhecimento dela. É a mesma coisa de você andar na rua e ver passando uma pessoa bem bonita, você vai admirá-la por momentos, é isso que eu gosto nas pessoas inteligentes, os conhecimentos delas e a forma de pensar.

Na verdade sou vaidoso intelectualmente. E isso não é muito bom. Pois, a medida que a inteligência aumenta, a felicidade diminui.


Filmes

Odeio o lugar onde moro, não tem cinema, como vou ver os últimos lançamentos? Só se for em Vídeo DvD, nas locadoras. Amo filmes, aquela tela enorme, brilhando com aquele som auto, penetrando na mente, fazendo parecer que tudo aquilo é real. Não sou um viciado em filmes, eu me controlo, eu deixo de assistir aos filmes e saio com meus amigos, mas algumas vezes fico, fico e vejo sempre, “A lagoa azul”. Mentira, só quando o filme é muito bom mesmo e acaba de chegar na cidade.

As musicas dos filmes, principalmente os da disney, eu adoro. Goto de músicas, mas prefiro ver animações junto com elas, é detestável ter que ouvir uma música legal e imaginar situações da minha vida.


Internet

Na verdade eu fico feliz e também não fico. Odeio ficar sem net em casa, mas tem horas que cansa usá-la. O que cansa mesmo não é a internet, são as coisas que eu vejo. Às vezes entro no orkut e vejo aquelas pessoas bonitas, cheias de amigos, fico com inveja, daí vejo outros orkut com pessoas chatas, mas cheia de amigos, ai sim minha auto-estima cai. Mas, quando aparece alguém legal no msn, alguém que me agüenta, eu fico feliz, converso até altas horas com essas pessoas.

Ainda bem que eu gosto de internet, senão, o que eu faria numa faculdade de computação? Apesar de não saber muita coisa na área computação, como formatar um computador, editar uma pagina html sem um solftawe, deixar um layout legal no meu blog, sei fazer outras coisas. Principalmente mexer na internet.


Ler

Adoro ler! Lendo eu não penso na vida. Fico dentro de outro lugar, descobrindo coisas novas, aprendendo e me divertindo. Depois tento trazer um pouco do que aprendi para o dia a dia, deve ser porque tento mudar um pouco a minha vida, viver um pouco de magia.

O interessante, é que quando agente lê, agente percebe algumas coisas de quem escreveu. Não digo que descobrimos detalhes da vida da pessoa, mas descobrimos certos apreços e desejos do escritor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Agora me digam, como esses meus gostos, será que existe alguém que também o compartilha? Deve ser por isso que chamo de vicio. Pois vícios nunca são coisas tão boas como pensamos. Sendo assim, são as únicas coisas que te acompanham.

P.S. Não vou intimar ninguém.

2 comentários:

Mr.Parker disse...

nossa compartilho com vc todos os seus gostos!!!!

hahahhahaha

somos gemeos!

Anônimo disse...

Além de dinheiro, liberdade me deixa feliz.
Ser livre, é ser dono de si, acordar quando se quer, ir no cinema quando se tem vontade e assistir o filme que está afim, e não um "mais ou menos" que seu(s) acompanhante(s) gostam mais. Liberdade é poder optar, fazer escolhas sem interveção de ninguém, é não ter que dar satisfações, é ter uma casa só para você, um carro só seu, onde se vai onde se quer e quando quer, e não quando disponível.
Embora algumas facetas da liberdade sejam mais complexas, são com esses simples exemplos que se pode ver com clarividência, como é bom ser livre.
Uma parte do seu post me chamou mais a atenção "a inteligência aumenta e a felicidade diminiu". Poucas verdades são tão duras como esta, mas nisso eu concordo plenamente.
Quanto mais se sabe, se conhece, mais se tem compreensão do que falta, ao passo que certas alegrias são ceifadas junto com a conciência da dimensão dos problemas e da complexidade da vida.
Continuo achando que inteligência é um dos maiores afrodisíacos.

Prima Isis.