domingo, outubro 15, 2006

Um Tapa Na Felicidade

Então eu me pego analisando tudo e todos e, me pergunto: “Sou feliz?”.

Mas, o que é a felicidade? Por que precisamos dela? E por que sempre estamos atrás da mesma? Nisso o meu lado perverso diz: “Felicidade nada mais é do que uma droga viciante!”.


Realmente! Viciamos nessa tal felicidade. Viciamos de certa forma que não aceitamos ficarmos tristes ou com outra emoção a não ser a felicidade. Que terrível.

Como toda teoria tem que ter exemplos, aqui está os meus.

Imaginem um homem num, bebendo, dando gargalhadas com os amigos e no fim, sai com uma mulher linda. Todos iram dizer que esse homem é feliz. Mas se eu disser que não é a primeira e nem a segunda vez que ele vai nesse mesmo bar, bebe, da gargalhadas com os amigos e sai acompanhado com uma mulher? Viram? Para ele ter felicidade ele sempre faz isso. E no outro dia, você acha que a felicidade continua junta com ele ou foi embora com o álcool na urina?

Agora um palhaço de circo. Sempre alegre contando suas piadas. Sorrindo e fazendo os outros sorrirem. Mas será que ele não cansa de fica contando e fazendo as mesmas coisas sempre? Não cansa de fingir ser alegre para as pessoas que o virem, achar o mesmo? Se fosse isso, ele não precisaria viver escondido debaixo de uma mascara pintada.

Um jovem da um tapa na pantera para sentir-se feliz por um instante. E sempre vai repedindo, repetindo e repetindo até ficar todo degrado por causa da droga. Mas agora vem a pergunta. Que droga o fez ficar horrível, como um cadáver vivo, as drogas ilegais ou a felicidade que ele busca através delas?

Então me fiz a seguinte pergunta: “O que me faz ser feliz e onde posso achá-la?”. Resposta: “Muito dinheiro para fazer o que quiser”. Mas dizem que dinheiro não compra felicidade. Coitados! Se a felicidade é uma droga viciante então é só ir à loja certa!

Quando somos felizes, sempre somos bons; mas, por sermos bons, nem sempre seremos felizes”. O retrato de Dorian Gray