segunda-feira, agosto 14, 2006

Conhecimento, Meu Bem Seu Mau.

Estava lembrando de quando eu cursava o 3º ano do ensino médio. De quando a professora de português me apresentou uma obra belíssima, A Divina Comédia de Dante Alighieri. Ela apresentou várias obras da literatura nacional e estrangeira para os alunos, para que apresentassem um seminário sobre os livros.

Como o meu livro era o mais comprido e complicado, ela deu um mês de prazo para a entrega do seminário e como ele tem 3 partes, inferno, purgatório e céu, eu tive dois colegas para formar um grupo e explica-lo. Eu fiquei nada mais nada menos do que a parte do inferno, que era a mais complexa e maravilhosa parte de toda a magnífica obra.

Queria ter lido o livro todo na época, mas quando comecei a ler a parte do inferno, vi que ele exigiria tempo e dedicação, pois lá existem vários personagens históricos e metáforas com ligações da época de Dante, metáforas estas, muitas vezes políticas.

Precisei de 2 aulas e metade de uma para explicar, sem muitos detalhes, a parte que fiquei encarregado. Foi tão bom ter explicado essa obra, pois foi a primeira vez que varias pessoas param e prestaram atenção, sem questionar, no que eu dizia. Ouviam atentos e se surpreendiam quando eu entrava nas esferas seguintes, citando os castigos e as personalidades que sofriam os mesmos.

Os elogios que obtive da parte da professora, que disse que eu havia mostrado outro sentido e explicado coisas que passaram batidos quando ela tinha lido há muito tempo. Senti-me o máximo, me senti tão bem que gostaria que sempre fosse assim, que sempre parassem para ouvir sem questionar ou ridicularizar-me diante dos outros.

Então notei que o conhecimento que cada pessoa tem é importante, não para somente a sociedade, mas para a própria pessoa, pois ter o domínio é muito bom, é coisa de Deus. E o conhecimento da poder, muito poder. Também apresentei um seminário sobre o conhecimento proibido, qualquer dia eu posto ele aqui, muitos na faculdade gostaram, uns gostaram tanto que defenderam as mesmas idéias que eu defendi no meu. Huehueheuheu

E é com esses conhecimentos de mundo, que brinco com as pessoas na faculdade, sempre as deixando curiosas com as comparações e metáforas que faço, sem esquecer do eufemismo que uso para as pessoas que não suporto muito. E minha mãe sempre diz: ”Filho, inteligência demais, só faz as pessoas se afastarem, pois quem é muito inteligente, perde a modéstia e se torna prepotente”. Irei comentar isso em outro post.

5 comentários:

Jimmy Astley disse...

Adoro pessoas inteligentes, mas devo dizer que sua mãe tem completa razão.

Pensa bem no que ela diz!

Você parece ser uma pessoa interessante e que tem muito a dizer... Vou tentar passar aqui mais vezes!


Abraços;

Jaleco disse...

Tambem concordo com sua mae... Gostei do seu blog, posso te adicinonar? Comecei o meu agora, passa la depois e se gostar me adiciona tambem ta? abracos

www.bidejalecobranco.blogspot.com

alex disse...

huahaua no ensino medio prestaram atenção em vc porque não sabiam nada mesmo. ve lá se qlq alunozinho do ano consegue comentar a divina comédia hauhaua

Mr.Parker disse...

então que sejamos todos prepotentes!

Garoto - 17 disse...

Pow, pra mim inteligencia naum leva a nada, pois no meu caso os professores ficavam com raiva de mim pois a turma naum segui meu raciocinio e que eu praticamento sou autodidatam entaum naum precisava de muitas explicações e ele acharam q isso atrapalhava a turma e me trasferiu de turno pra se livrearem de mim, dizendo: - Você é muito inteligente mas tem que ser mais humilde e menos ironico! putss eu quero q esses professores vao tomar no ******...

BEm, obrigado por comentar no meu blog.. bjusss